Chupeta: sim ou não?

Este é um tema com que todos os pais se deparam e, como em tantas outras coisas na vida, tem de se tomar uma decisão. Não se deve dar só porque sim… Será que todos os bebés precisam de chupeta? Há crianças que nunca tocaram numa chupeta e “sobreviveram”.

A chupeta não é de todo obrigatória. A chupeta foi inventada em 1680 e como podemos ver pelo nome em inglês (pacifier) foi criada com o intuito de acalmar bebés. E, diga-se… é realmente eficaz!

O reflexo de sucção é inato, ou seja, o bebé (recém-nascido de tempo) já nasce com a capacidade de sugar o que lhe seja colocado na boca. Esta capacidade é que lhe permite alimentar-se fora da barriga da mãe, ou seja. mamar. E é precisamente este facto que pode causar problemas quando se introduz precocemente uma chupeta. Esta ativa o reflexo que permite ao bebé alimentar-se não o alimentando… Logo, a chupeta não deve ser introduzida antes do bom estabelecimento da amamentação. Só quando mãe e bebé estiverem perfeitamente à vontade com a amamentação e esta esteja a decorrer sem problemas associados é que se deve ponderar a introdução da chupeta.

Prós:
Acalma o bebé em situação de birra/sono.
Parece haver evidência de proteção do Síndrome de Morte Súbita quando usada durante a noite, após o 1°mês de vida.

Contras:
Torna-se num vício.
Pode causar alergias (à baba, ao látex, etc…).
Grande fonte de bicharadas e vírus.
Pouco higiénicas.

Como em tudo, nem 8, nem 80. É uma decisão que compete única e exclusivamente aos pais e que deve ser devidamente ponderada entre ambos.